sábado, 7 de maio de 2016

A renascença cai no esquecimento em Jataúba





Um dos únicos atrativos de Jataúba-PE era a produção de Renascença, renda de origem européia, do século XVI período do Renascimento, tecida em almofada e cujas aplicações se prestam ao adorno das mais diversas peças. Trazida ao Brasil pelos portugueses e ensinada no Recife em colégios internos e conventos, a Renascença chegou em Jataúba na década de 30, pelas mãos de uma senhora famosa na cidade, Maria Peitinho.Essa atividade artesanal, assumida pela grande maioria da população como meio de vida, pode ser facilmente encontrada nos lares  e na feira popular, realizada nas sextas-feiras  na cidade de Jataúba PE.
Antes de Antonio de Roque como prefeito, Jataúba era o maior produtor de renda Renascença do Brasil. A renda é exportada para diversos estados brasileiros e exportada para sete países da América, Europa e Ásia. A renda é a maior fonte de renda deste município pernambucano, localizado no Agreste. Maior produtor de renascença do País, Jataúba (222 Km do Recife) responde por 90% da produção nacional. A produção dos bordados envolve 80% dos 8,5 mil moradores da cidade, inclusive homens e crianças. Os desenhos geralmente exploram temas florais e o produto final demora de semanas a um ano para ficar pronto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário